A liderança das mulheres em debate

A maioria das mulheres executivas americanas, acreditam que devem mudar seus estilos de liderança e ser mais adaptáveis ​​do que suas contrapartes masculinas para liderar com sucesso e avançar em suas carreiras, de acordo com um novo estudo divulgado pela empresa de consultoria KPMG.

“Promovendo o futuro das mulheres nos negócios: um relatório da Cúpula de Liderança Feminina da KPMG”  entrevistou 550 mulheres executivas de alto desempenho:

“Como presidente e CEO da KPMG, sou especialmente apaixonada pelo compromisso de nossa empresa em levar mais mulheres para a diretoria executiva”, disse Lynne Doughtie. Nosso estudo fornece informações valiosas sobre os desafios que as mulheres enfretam. Esperamos que isso inspire as mulheres a almejarem e liderarem com propósito ”.

As principais conclusões do estudo incluem:

  • 66% dizem que as mulheres devem mudar seus estilos de liderança mais do que seus pares do sexo masculino à medida que sobem para níveis mais altos dentro de uma organização.
  • 81% acreditam que as mulheres devem ser mais adaptáveis ​​em situações do que os homens para liderar com sucesso e avançar em suas carreiras.
  • Por causa do feedback como ser “pouco mandona ou exigente”, “não agressiva o suficiente”, “não suficientemente colaborativa” e “direta demais”, 58% das mulheres entrevistadas admitem mudar seu estilo de liderança para combater tais percepções.
  • 49% das mulheres executivas se identificam com um estilo de liderança autêntico, mas lutam para definir o quanto de autenticidade é demais. As mulheres executivas acreditam que sua autenticidade deve diminuir à medida que aumentam nas fileiras.
  • Mais da metade (58 por cento) das mulheres entrevistadas acreditam que é necessário um estilo de liderança transformacional para alcançar o topo.

As mulheres executivas incluídas na pesquisa aprofundada representam uma variedade de indústrias em mais de 150 das principais organizações do mundo e foram nomeadas por seus CEOs para participar da Cúpula.

Descobertas adicionais:

  • Os estilos de liderança transformacional (39%) e democrático (34%) são vistos como os melhores estilos para motivar os funcionários.
  • Enquanto apenas 2% das mulheres foram identificadas como líderes transacionais, as executivas acharam o estilo de liderança transacional útil em tempos de crise, situações de alto risco ou lidando com uma variedade de desafios pessoais.
  • 81 por cento das mulheres acreditam na liderança situacional como um meio para ser bem sucedidas.

E no MMN, como as mulheres estão liderando e se tornando bem sucedidas? Deixe sua opinião. Ela poderá ser publicada em breve.

Deixe sua opinião