Conheça a mulher que inventou uma criptomoeda e faturou 21 bilhões de Reais

Ruja Ignatova autoproclamava-se “cripto-rainha” e a grande rival do BitCoin.

Autoproclamando-se “cripto-rainha”, a empresária Ruja Ignatova conseguiu arrebanhar milhares de clientes para sua empresa de criptomoedas, que virou um dos maiores esquemas Ponzi do mundo, chamada OneCoin.

— Em dois anos, ninguém vai mais falar de Bitcoins — gritou ela, proclamando-se, ainda, uma “assassina do Bitcoin”.

De acordo com a BBC, Ruja conseguiu convencer milhares de pessoas a investirem na OneCoin.

Documentos sigilosos a que o portal teve acesso mostram que os britânicos gastaram quase 30 milhões de libras (o equivalente a R$ 158,7 milhões) nos primeiros seis meses de 2016. Há registros de investimentos vindos de países como Paquistão, Noruega, Canadá, Iêmen e até mesmo o Brasil.

A OneCoin causava entusiasmo até atrair o interesse de um homem chamado Timothy Curry, entusiasta das criptomoedas. Curry entendeu que havia uma fraude no sistema da OneCoin: o aumento no valor dessa moeda não significava nada, eram apenas números digitados por um funcionário da empresa, disse ele.

Nesse período, Ruja já havia comprado propriedades milionárias em Sófia, capital da Bulgária, além de realizar festas em seu luxuoso iate. O retorno financeiro prometido aos investidores da OneCoin, no entanto, demorava a aparecer.

Em uma conferência de clientes da empresa realizada em Lisboa em outubro de 2017, a mulher não compareceu. Seu paradeiro tornou-se misterioso até mesmo em seu escritório na Bulgária.

Registros do FBI apresentados à Justiça no início de 2019 mostram que, no dia 25 de outubro de 2017, ela estava a bordo de um avião que rumava de Sófia para Atenas, na Grécia. Foi a última vez que se ouviu falar em Ruja. 

Ainda de acordo com a reportagem da BBC, estima-se que a OneCoin recebeu cerca de 4 bilhões de libras de investimento (o equivalente a R$ 21 bilhões), entre agosto de 2014 e março de 2017.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos afirma haver indícios de vínculos entre o irmão de Ruja, Konstantin Ignatov, com agentes importantes do crime organizado do Leste Europeu. Ignatov assumiu o comando da OneCoin quando a irmã desapareceu.

Há diversos rumores a respeito do paradeiro da “rainha da criptomoeda”.

Alguns relatos dão conta de que Ruja tem passaportes russo e ucraniano e vive entre a Rússia e Dubai. Ela também seria protegida por superpoderosos de sua terra natal, na Bulgária. Lá, teria feito cirurgia plástica para mudar sua aparência e nunca mais ser reconhecida.

A OneCoin continua existindo e nega irregularidades.

Em comunicado enviado à BBC, disse que “preenche todos os critérios de uma criptomoeda”. “A OneCoin, de modo verificável, preenche todos os critérios de uma criptomoeda”, diz parte do texto. “Nossos parceiros, consumidores e advogados estão, de modo bem-sucedido, rebatendo (as acusações) ao redor do mundo e temos certeza de que a visão de um novo sistema com base em uma ‘revolução financeira’ será estabelecida.”

Alguns dos líderes que possuem os maiores bônus do mundo, são dissidentes da OneCoin. Alguns inclusive, fundaram suas próprias empresas.

A SUCESSO irá apresentar em breve, mais informações relevantes sobre a OneCoin.

Deixe sua opinião