Dreams Digger: a empresa baiana começa a crescer em todo o país

Com apenas um ano de vida, (comemorados agora em abril), a baiana Dreams Digger,  que nasceu fornecendo um curso que ensina as pessoas a entenderem tudo sobre criptomoedas, está se expandindo para o Brasil de forma tão veloz, quanto no mundo. Para se ter uma idéia do sucesso dela, já possui alunos, empreendedores e investidores em 16 países do mundo.

A Dreams Digger, é uma escola de tendências de mercado, que promove a acessibilidade do conhecimento sobre o mercado de criptomoedas, treinando e capacitando os alunos numa plataforma online a se tornarem especialistas no assunto para obterem rendimentos diários no mercado que mais cresce na atualidade.

A Plataforma da empresa, é semelhante a Netflix, voltada para o entretenimento e cursos diversos sobre o mercado de criptomoedas e tendências.

Além do curso, a empresa oferece o Next, um robô de operações de arbitragem que realiza operações automatizadas em diferentes exchanges ao redor do mundo, comprando nas que possuem uma cotação mais barata e vendendo nas que pagam mais caro. A Next faz gestão de Bitcoins, com pagamentos de lucros variáveis, sem percentuais estipulados, diários, conforme o mercado entrega.

A Dreams Digger foi criada pelo empresário Leonardo Araujo, entusiasta do mercado de Marketing Multinível, com experiência de 8 anos nesta indústria e especialista em critptomoedas.

Com uma missão bem clara e objetiva, Leonardo pretende, através da Dreams Digger, gerar acessibilidade com baixo custo, para que as pessoas cada vez mais, as pessoas  entendam, aprendam e ganhem dinheiro com criptomoedas.

A empresa possui um trabalho social, apoiando o Instituto Nacional Resgatando Vidas (INARV), uma organização não governamental criada em 2010, em Porto Seguro, Bahia, estendendo ações em todo território nacional com o principal objetivo de desenvolver e apoiar iniciativas que melhorem a qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social.

O público da INARV é composto de jovens, crianças, idosos, homens e mulheres que vivem a margem da sociedade e que encontram na instituição apoio para transformação econômica, social e cultural.

Neste seu primeiro ano, a empresa já criou milionários e em breve faremos uma matéria complementar.

 

 

 

Deixe sua opinião