Equivoco: Decisão polêmica da Amakha Paris

O presidente da Amakha Paris, Ricardo Bortoletto, criou uma nova regra que está dando o que falar na empresa e no mercado.

Para surpresa de todos, ele criou a delação premiada dentro da empresa e oficializou publicamente, defendendo este equívoco com unhas e dentes.

Publicidade

A partir de agora, quando um empreendedor se cadastrar ou resolver desenvolver outra empresa de multinível, o empreendedor que juntar provas e denunciar este, (Delação Premiada), receberá como prêmio, a rede do delatado.

É isso mesmo!

Quem denunciar alguém que estiver desenvolvendo outra empresa, ganha a rede de quem terá seu ID cortado.

Em outras palavras, a linha ascendente do delatado perde a rede para outra rede crossline.

Este é um dos maiores absurdos que uma empresa adotou na história do MMN, alega um grande líder da Amakha Paris que não quis se identificar.

“Primeiro porque somos Distribuidores independentes e podemos trabalhar com quantas empresas desejarmos, segundo porque, a rede é patrimônio do patrocinador e da empresa. terceiro, que todo o apoio da linha ascendente dada a rede vai por água abaixo, com a perda de uma rede que não tem nada a ver com decisões de downlines e do crime que a Amakha Paris comete ao implantar esta medida”, diz.

Um grupo de empreendedores está entrando em contato com a Abranetwork, denunciando esta delação.

Vamos aguardar os próximos capítulos desta história.

Deixe sua opinião