Exclusivo: Presidente da Credminer revela; “Fechei para novos cadastros” para mostrar que a empresa é séria

Como todos sabem, a Revista SUCESSO também foi ao Paraguai para entrevistar Antônio Silva, e saber o que de fato aconteceu com a CredMiner. A entrevista ocorreu na fazenda de mineração da empresa.

Como já tínhamos noticiado, a Credminer tem um galpão de mineração de 3 andares, em um condomínio empresarial lotado de máquinas S9 e outras de vários modelos. Nossa surpresa é que além do galpão, encontramos mais 8 containers lotados, com uma tecnologia avançada em um terreno ao lado, com equipamentos da Bitmain, Antiminer S17 e B1, com máquinas mais modernas e eficientes, sinal que a empresa investiu muito desde a última visita que fizemos..

Além do funcionamento das máquinas, todo hashrate gerado por elas está online de forma pública para que todos os filiados possam ver, além de outras informações relevantes, mostrando que a empresa é transparente como sempre foi

Na primeira conversa, Antônio Silva foi categórico. “O modelo de negócio de mineração literalmente faliu”, revelou.

Confira o que ele falou.

“Eu comecei as atividades da Credminer em 2016 literalmente do zero, quando poucas pessoas ainda falavam sobre criptomoedas ou mineração. Mineração, era um negócio muito rentável. Uma máquina se pagava em 3 ou 4 meses. Depois deste período era só lucros, e a ainda havia a expectativa, como ocorreu em 2017, de que o preço do Bitcoin ia subir muito acima de 20 mil dólares.

Nós conseguimos firmar no mercado graças a nossa verdade. Eu poderia aqui enfeitar, mas não vou fazer isso. Crescemos na raça, falando para as pessoas que nós não garantimos nada, você poderia ter 10% de lucro, como pode ter 200% no período, como poderia ter ZERO. A única garantia que poderíamos dar era que ninguém iria sumir com sua moeda, ninguém vai brincar com seu investimento, com seu negócio, e a gente cumpriu isso.

O crescimento a gente não imaginava, mas a honestidade sim. Honestidade era planejado. Tiveram vários fatores que contribuíram para isso, mas o fator fundamental foi falar a verdade.

Nós crescemos firmados em 3 pilares: Transparência, legalidade e sinceridade.
Essas 3 questões foram muito importantes para que pudéssemos nos firmar no mercado até aqui.

Nosso negócio era simples. O investidor enviava BTC para empresa MDX ou para algum afiliado que tinha criptomoeda, e 100% deste BTC erá revertido na compra da máquina para minerar, eraum aluguel de “hash rate” e nos ‘entregávamos’ para ele na forma de HPM (Hash Power Mining) uma unidade da empresa usada para compartilhar os lucros da operação de mineração, descontado os custos operacionais da Credminer, por no máximo 16 meses, após este prazo, a máquina era 100% da empresa.

Convertemos então o HPM em um valor virtual Chamado “Saldo de Mineração (M$) que até 2019 era possível trocar este saldo por qualquer criptomoeda em nossos parceiros como CoinBr, Brabex, e por último a Liquidex, inclusive, estas criptomoedas poderiam ser enviadas para qualquer carteira externa ou mesmo serem trocadas por reais nas plataformas parceiras, isso funcionou por 3 anos, até que os bancos começaram a bloquear as contas das exchanges no brasil e no mundo. Repito, nunca captamos dinheiro no mercado, nosso negócio era entrar com criptomoedas, e sair com criptomoedas, qualquer uma delas.

Depois, com bancos trabalhando contra, voltamos a focar exclusivamente em criptomoedas como era no início, encontramos a LQX, uma criptomoeda nova, mas que poderia ser minerada pelas nossas máquinas antigas, então os saldo Virtual M$ passaram a ser convertidos em LQX que também podiam ser trocadas por Bitcoin ou qualquer outra moeda na Liquidex, ou até por produtos em nossos parceiros, isso complicou devido ao “troco no core” do Bitcoin.

Sobre LQX
LQX é um fork melhorado da Dash e você pode minerar em qualquer equipamento que minera Dash. Aqui não tem nada ‘inventado’, não tem BitIsso ou BitAquilo aqui.

Toda a documentação da moeda é pública, o Git da moeda está no GitHub. Ai qualquer pessoa ou empresa pode comprar uma máquina por exemplo, e começar a minerar LQX você mesmo pode fazer isso, a LQX já tem hoje mais de 8 mil Masternodes ativos, o que a torna uma das maiores do mundo nesta modalidade. Ela ainda não está no Coinmarketcap porque tem um valor para colocar lá e não quero pagar agora. Primeiro vamos fazer o teste da moeda em público, o que está indo muito bem.

A LQX está inclusive listada na Cointradecx, e ainda em 2020 vamos listar no mínimo em mais 3 exchanges internacionais como esta em nosso RoadMap, se você não sabe minerar, pode comprar a moeda nas corretoras. Com a LQX você pode comprar produtos e serviços, já existe vários sites que aceitam comprar e vender produtos pagando e recebendo com a moeda, além de milhares de pessoas, vendendo produtos e aceitando a moeda, de sapato a apartamentos, casa e veículos já foram negociados com LQX, e estava em nosso RoadMap até um cartão de crédito para ser carregado com ela.

Agora pega os “Bitqualquercoisa”, “BitUnick”, “Bit3xbit”, “Bitraioqueoparta” que tem por ai e tenta fazer alguma coisa com eles.

Com a LQX que alguns sites falam que é moeda de “pirâmide”, qualquer pessoa pode usar e comprar, fazendo parte do negócio ou não, agora com a moeda das empresas “da comunidade” não, quem é pirâmide então?

Problemas com o mercado.
Como disse, nossos problemas começaram em 2019 com o encerramento de contas correntes de todos nossos parceiros que davam Liquidez a nossa moeda, até contas de sócios e da própria empresa foram canceladas sem justificativas. Nesta época a moeda chegou a valer R$4,25, mas com tanta notícia negativa, tanta pressão, reclamações, acusações de pirâmide, e tanta mentira a nosso respeito, eu acreditei que a moeda chegaria a ZERO, mas ela foi mais forte que os sites sensacionalistas dizem que é. Graças a pessoas que realmente entenderam o conceito do negócio e acredita nele.

Tivemos 3 desafios que achei que não conseguiria resolver;
Primeiro – a falta de Legalidade, de normas, regras, especificações daquilo que pode e o que não pode. A gente se virou como pôde, buscou ajuda e apoio dos órgãos competentes e não teve.

Segundo – foi convencer o mercado de que criptomoedas não era pirâmide, que o nosso negócio era sério e a gente começou a ter que provar isso todo dia, passamos grande parte do nosso tempo justificando o que não éramos, ao invés de mostrar o que éramos. Foi o maior desafio.

Terceiro – foi mostrar para as pessoas que existe a possibilidade de algo ser honesto no mercado de criptomoedas e também mudar a vida das pessoas e Graças a Deus esses três desafios foram superados.

Os outros desafios são na parte de tecnologia, mas hoje nós temos bons profissionais nessa área que acompanham bem a evolução e demanda existente.

O encerramento de contas prejudicou muito, até exchanges ditas ‘sérias’ do mercado.
Ou você consegue me garantir que se todo mundo pedir saque hoje, as exchanges ‘sérias’ do mercado vão ter o Bitcoin para pagar todo mundo? E o troco no core, sabe o que é? Você garante isso? Enfim, os problemas começaram aí e isso refletiu na empresa e na moeda em si, mesmo ela sendo pública, nós fomos os primeiros a usá-la, hoje tem várias pessoas e empresa minerando LQX em todo mundo como você pode ver na blockchain dela.

Mas, isso não foi tudo, como te disse, o modelo de mineração também entrou em colapso, e faliu. A dificuldade de mineração de Bitcoin (Hash Rate) aumentou a cada dia, as maquinas já não davam mais conta de minerar para todo mundo, o HPM caiu muito, o resultado também claro, mineração deixou de ser um negócio lucrativo nos moldes em que a Credminer havia montado. Tentamos Arbitragens, que hoje também não dá quase nada. Existem várias notícias na internet noticiando outras empresas de mineração fechando as portas no mundo e quem prometer lucros em arbitragem ou mineração está fadado ao fracasso.

Não é de hoje que estamos falando aos nossos clientes que o negócio de mineração não estava mais sendo lucrativo, que o risco aumentava a cada dia, e isso está tudo documentado, enviamos cartas a cada cliente dentro do sistema, estão registradas lá.

Desde Abril de 2019 estamos falando isso, que a mineração está difícil. Hoje tenho milhares de S9 como você mesmo está vendo, mas com a dificuldade de mineração atual e os custos operacionais, elas já não são lucrativas. Rendem pouco mais de US$ 40 por mês por máquina, não paga quase a energia. Esse modelo de negócio acabou, não vou iludir ninguém. Não compensa minerar, não com essas máquinas, não compartilhando lucros como fazíamos, vou ser meio arrogante, mas nós tornamos uma “KODAK” em mineração compartilhada, mas como a Kodak, se não mudar, vai falir de verdade.

Além disso teve desvalorização das criptomoedas.
Poxa, teve quem comprou Ethereum a $1.500,00 (dólares) e hoje vale pouco mais de $158,00 (dólares). Quem comprou na alta vai reclamar para quem?

A mídia chega e apontam o dedo falando de valorização como se ninguém nunca tivesse comprado Ethereum, como eu aceitei aqui, acima de US$ 1 mil, e Bitcoin perto de US$ 19 mil. Aí vem e falam, olha valorizou mais de 90% em 2019. Balela. Quem entrou no mercado em dezembro de 2017 e comprou BTC ainda está no prejuízo, ou não? Os dados do Coin Market Cap estão mentindo?

Imprensa, CVM e processos
A Imprensa nunca abriu espaço para eu me defender. Sempre nos comparou com as “Unicks” da vida. Desde 2016, logo quando lançamos a empresa já falaram que era pirâmide, mas nunca foram conhecer minha operação, nunca vieram me perguntar, e olha que eu estou nas redes sociais, nos aplicativos de mensagens o tempo todo.

Agora as empresas que eram ‘sérias’ no mercado, como a Atlas Quantum, que até criou uma “Associação de Criptomoedas” tomaram pau da CVM. Eu nunca tive um stop order emitido pela CVM. Por três vezes que fomos investigados por reguladores e pela justiça e nas três os processos foram arquivados. Ainda há dois processos em andamento, mas somos muito transparentes em tudo.

Nunca prometi que daria lucro para ninguém. Nunca garanti Fixo ou lucro para ninguém. Nunca falei que alguém ia ganhar 2, 3, 4% ao dia ou ao mês. Nunca disse que minerava somente Bitcoin, leia nosso contrato, veja os vídeos oficiais, textos da empresa.

Acontece que antes, a mineração pagava muito bem, hoje não.
E sempre que aumentava o HPM, a maioria dizia, “Essa empresa é de Deus”, quando caia o lucro “começavam a xingar”. Hoje se você quiser minerar e não tiver pelo menos um S17, B1 ou similar, e um lugar próprio com energia abaixo de US$ 0,03, nem adianta começar. Quer levar uma máquina minha e testar na sua casa ou em qualquer lugar e me dizer se agora ela dá lucro? Eu te empresto uma agora.

Agora voltamos ao passado, em 2016, 2017 e até 2018, e me fala se um Antiminer S9, com a energia barata no Paraguai não dava lucros absurdos, ou você acha que fui burro de ter usado 100% do dinheiro e BTC que entrou para comprar tudo isso de equipamento que você está vendo?

Acha que se tivesse a intenção de montar um pirâmide, iria montar toda esta estrutura enorme para que?

Não seria mais fácil, tirar site do ar, sair de rede sociais e sumir com o dinheiro de todo mundo, mandar para um paraíso como Belize, com fizeram por aí, ou qualquer coisa do tipo, agora eu pego 100% do que entra e compro tudo isso de equipamento, monto toda essa estrutura, deixo site no ar, e dou a “cara a tapa”, que golpista burro que sou então heim, se eu gastasse tudo isso em marketing?

Era mais barato fazer propaganda na Rede Globo, no G1, como a Atlas fez, ou então no Rodrigo Faro, como fez a Investimento Bitcoin ou só nas redes sociais como fez a Unick Forex. Pensa, não custa caro.

Sobre a CVM inclusive eu procurei orientação na CVM sobre o sandbox (mostrou documento) pois queria enquadrar a empresa nele. A resposta não foi nem que sim, nem que não.

Agora me dá aí o stop order que a CVM emitiu contra a minha empresa ou uma ordem do Ministério Público contra mim.

Tem alguns Boletins de Ocorrência registrado na Polícia, isso tem, a maioria entra em negócio de criptomoedas sem entender o óbvio, agora me mostra uma investigação policial que resultou em bloqueio de bens, até porque os ÚNICOS bens são as máquinas e estrutura, ou mesmo em prisão, em qualquer outra coisa contra mim ou conta e empresa.

Pagamento aos clientes
Fechei novos cadastros na Credminer em outubro de 2019, quando a empresa estava em seu melhor momento de cadastros, estávamos fazendo reuniões com mais de 1.000 pessoas, era o tal do “explodiu” para todo lado. Fechei porque após tentar de tudo, eu vi que o negócio não estava mais lucrativo e que ia acabar. Não fechei porque a justiça mandou ou porque a CVM mandou, fechei porque sou responsável e honesto com quem acreditou em mim.

Quando fechei, a Credminer tinha 275 mil contratos, sendo que destes, 26.758 ainda não tinha recuperado o valor investido ou seja menos de 10% dos contratos não tinha recebido o valor investido, hoje não existe 4% sem receber. Você anotou isso aí? Menos de 10% quando fechei para novos cadastros e menos de 4% hoje, não é igual na Unick e ou outras que 100% dos saldos foram bloqueados ou que 100% perdeu tudo.

Menos de 4%. Imagina se os clientes das dezenas de empresas que simplesmente fecharam tivesse uma “moedinha” de 0,45 centavos cada para garantir ao menos o que investiram?

Diante tudo isso, eu fui para a Europa buscar uma solução, fui para os EUA, fui para tudo quanto é lugar para encontrar uma forma para continuar um novo modelo de forma LEGAL, ÉTICA E MORAL, com sustentabilidade.

Se a gente fosse desonesto era mais fácil eu tirar o site do ar e sair do país já que não tenho qualquer bloqueio ou qualquer restrição. Eu nem precisava falar com a mídia, para dar satisfação de nada, da mesma forma que vocês não conseguem falar com a maioria de donos de empresa, ao contrário, eu corro atrás de vocês igual um cachorrinho para me justificar e explicar tudo..

Agora, nós vamos pagar os 4% restantes da Credminer como sempre fizemos. Vamos pagar em LQX que ele pode vender na Cointradecx. Ainda este ano a LQX será listada em mais 3 Exchanges e vamos para o CoinMarketCap.

Qualquer cliente é livre para ir ou não para o novo modelo. Ele pode cancelar o contrato e sair pegar as moedas dele e vender pra quem quiser, é só aceitar o termo no site e escolher uma das opções que tem lá.

E se alguma opção apresentada, não satisfazer, ele pode vir aqui e pegar as mineradoras para descontar do saldo, ele pode vir. Tá aqui, você tá vendo, é o que temos. Isso aqui é dele, é dos clientes da Credminer, salvo os que já receberam o valor investido e lucros.

Qual o Futuro do grupo?
Para quem quiser acreditar e continuar é só aguardar o encerramento da empresa com o devido pagamento de todos os clientes também e será bem vindo ao novo modelo. Em breve eu vou anunciar um novo produto que não tem nada a ver com mineração nem com modelo de negócios Credminer e por meio dele, o compromisso que fiz lá atrás de continuar mudando a vida das pessoas vai se realizar.

Eu continuo trabalhando para ter um negócio legal, seguro e sustentável. Ele foi isso durante mais de 3 anos e agora não é mais. O modelo literalmente faliu. Mas eu não. Eu continuo no mercado inovando e criando soluções para este mercado, e vou continuar sem dar prejuízo a ninguém.

E desafio a toda mídia a voltar aqui no final de 2020 e me falar se todos os clientes das empresas bloqueadas receberam seus Bitcoins, ai veja se um dos clientes da Credminer receberam ou perderam algo.

Vamos ver o que acontece.

Aguardo a todos em 2020.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 − 10 =