Natura fortalece sua liderança corporativa com três novos gerentes

Com a compra da Avon, a Natura começa a reestruturar sua liderança para responder aos desafios que virão para o próximo ano. Os executivos assumirão suas novas funções assim que a compra da Avon for concluída .

O grupo brasileiro de produtos de beleza anunciou a incorporação de três novos membros em seu conselho de administração. A medida ocorrerá efetivamente no primeiro semestre de 2020, após a conclusão de todos os detalhes legais correspondentes à compra da empresa. Avon American.

A Natura reforça sua equipe de gestão.

Poucos meses depois de chegar a um acordo definitivo para a aquisição da empresa americana de cosméticos e beleza Avon, a gigante brasileira anunciou que terá três novos membros em seu corpo administrativo e administrativo.

As novas faces desta reunião são: Nancy Killefer, que faz parte do conselho de administração da Avon desde 2013, Andrew G. McMaster, presidente do conselho de auditoria de produtos da Avon desde 2018 e, finalmente, Don Don Cornwell, ex-presidente e CEO da Granite Broadcasting Corporation, que além disso tem sido um membro proeminente do conselho da Avon desde 2002.

Natura integra três novos executivos ao seu conselho de administração

Após a compra da Avon, a Natura terá o controle de 76% dos ativos da Avon, enquanto os 24% restantes permanecerão nas mãos dos investidores da empresa americana.

Esse movimento é a segunda maior operação de compra de negócios da gigante brasileira nos dois anos.

Em 2017, a Natura concluiu com sucesso a compra da The Body Shop da L’Oréal em uma operação com um valor estimado de 1.120 milhões de dólares (1.003,5 milhões de euros).

Segundo a própria Natura, em comunicado recente à imprensa, o acordo para a aquisição da Avon faz da empresa brasileira a quarta maior empresa de cosméticos do mundo em capitalização de mercado. A empresa se orgulha de ter um faturamento anual de mais de 10.000 milhões de dólares (8.960 milhões de euros).

A Avon encerrou o exercício contábil de 2018 com perdas de 21,8 milhões de dólares (19,4 milhões de euros), enquanto a Natura registrou um lucro líquido de 548,4 milhões de reais em 2018 (cerca de 130,3 milhões de euros) , que é 18,2% menor que em 2017.

Deixe sua opinião