O Chá verde vira moda nas vida das pessoas e nas empresas de Marketing Multinível

O chá verde pode ter a chave para responder à próxima epidemia global e se transforma numa grande oportunidade de mercado para empresas de MMN.

Muitas empresas de marketing de rede estão ficando conhecidas por venderem chá verde ou usar chá verde em seus produtos. 

Podemos mencionar, por exemplo, os suplementos à base de chá verde da Amway e chá verde da Total Life Changes

Como a maioria das empresas de marketing multinível se concentrou na venda de suplementos naturais, é necessário examinar a importância do uso do chá verde em seu potencial contra uma das ameaças mais graves que o a humanidade está enfrentando hoje.

O mundo hoje enfrenta uma potencial pandemia: a resistência das bactérias aos antibióticos. 

Em janeiro de 2017, o fundador da Microsoft, Bill Gates, disse que, devido à resistência dos micróbios aos antibióticos, o mundo enfrentaria uma grande epidemia de proporções catastróficas. A preocupação com a resistência dos micróbios aos antibióticos é tão alta que, mesmo na União Europeia, o uso de antibióticos em animais começou a ser limitado, para que as bactérias não continuem desenvolvendo esse tipo de resistência.

Nesse contexto, o chá verde pode desempenhar um papel fundamental no combate a essa ameaça em potencial, como evidenciado por pesquisas recentes da universidade, e é aí que as empresas de distribuição de alimentos e suplementos naturais, como vendas diretas e marketing o multinível pode desempenhar um papel crucial na luta contra essa ameaça.

Este é o último relatório sobre o chá verde:

A resistência aos antibióticos está se tornando uma ameaça global: é uma conseqüência do uso indiscriminado de tratamentos antimicrobianos em todo o mundo. Por esse motivo, as bactérias resistentes a antibióticos continuam aumentando em número, fazendo com que muitos de nossos medicamentos mais potentes e eficazes percam sua eficácia. Isso, é claro, tem imensas implicações na saúde de humanos e animais, agora e no futuro.

Felizmente, os cientistas da Universidade de Surrey afirmam que o chá verde pode ser a chave para restaurar esse equilíbrio imunológico natural. Os cientistas dizem ter encontrado um antioxidante natural comum ao chá verde que poderia ajudar a eliminar bactérias resistentes a antibióticos. Mais importante, esse antioxidante e o chá verde em geral podem proporcionar uma inovação na luta contra a crescente epidemia que é a resistência aos antibióticos.

Especificamente, o estudo descobriu que a epigalocatequina, também conhecida como EGCG, tem a capacidade de restaurar a atividade do aztreonam. Este é um antibiótico mais conhecido como tratamento para infecções causadas pela bactéria Pseudomonas aeruginosa. Essa cepa bacteriana específica foi associada a uma infecção grave do trato respiratório e da corrente sanguínea; e, mais importante, tornou-se bastante resistente a vários antibióticos.

O professor Roberto La Ragione é o chefe do Departamento de Patologia e Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina Veterinária . Ele explica que a Organização Mundial da Saúde designou oficialmente Pseudomonas aeruginosa resistente a antibióticos como uma “ameaça crítica à saúde humana”. Mas, dito isso, ele comenta: “Mostramos que podemos eliminar com sucesso essas ameaças com o uso de produtos naturais”em combinação com antibióticos já em uso. “Como tal, é mais crucial do que nunca que desenvolvamos alternativas de antibióticos e, mais importante, permitimos seu uso em ambientes clínicos.

O EGCG é uma catequina, um antioxidante natural do fenol, produzido em pequenas quantidades em folhas de chá preto e até em casca de maçã, cebola e ameixa.

De fato, o principal autor do estudo, Dr. Jonathan Betts, explica: “A resistência antimicrobiana é uma séria ameaça à saúde pública global. Sem antibióticos eficazes, o sucesso dos tratamentos médicos será comprometido. 

Precisamos urgentemente desenvolver novos antibióticos na luta contra a resistência aos antibióticos. Produtos naturais como EGCG, usados ​​em combinação com antibióticos atualmente autorizados, podem ser uma maneira de melhorar sua eficácia e um prazo de validade clinicamente útil. ”

Deixe sua opinião