Um balanço atual do mundo das criptomoedas (Por Antonio Silva)

Já escrevi sobre isso varias vezes, mas sei que a muitos provavelmente não deve entender este mercado, e cabe a nós explicar.

No Brasil, e em várias partes do mundo, Liquidez em cripto é utopia, (dinheiro vindo de empresas) ou seja, receber em REAIS está a cada dia mais difícil e vai ficar PIOR.

A grande maioria das Exchanges no Brasil, não tem mais conta bancária, e boa parte delas fecharam as portas. Mesmo se você quiser vender BITCOIN, a maioria, fora do P2P, não tem como comprar ou pagar, salvo raras exceções.

Mercado Bitcoin, a maior Exchange do Brasil, e Binance, a 2ª maior do mundo, mesmo sendo operações P2P, viram seu faturamento cair drasticamente e estão criando alternativas para minimizar o prejuízo e se manterem no mercado.

O Mercado Bitcoin criou uma moeda digital. A Binance criou a BNC, porque é este o momento, e muitas outras estão tentando criar um ecossistema como a Liquidex está fazendo.

De acordo com informações da cryptowisser.com, empresa que mantém uma lista com mais de 370 diferentes Exchange em todo mundo, acredita que mais de 60% de todas as empresas de criptomoedas em funcionamento, até Maio de 2020 irão fechar as portas e as que ficarem, terão que se adequar ao novo momento e se reinventar.

Os motivos são vários; Falta de liquidez pela guerra com bancos, regras de governo, sistema financeiro, piramides, golpistas, invasões, falta de entendimento do mercado, e ANO QUE VEM, NÃO VAI MAIS TER BTC NO MERCADO, não como foi até agora.

A cada dia, as “baleias” compram as pequenas fracões das “sardinhas”.

Ainda vem o Halving em 2020, ano que vem, qualquer empresa que depender de taxa, mineração ou arbitragens de BTC, vai falir.

Então o mercado acabou? NÃO, ele ficará melhor, só vai sobreviver quem realmente entender e agir com seriedade e mostrar as pessoas o que ocorre hoje.

E qual a saída para tudo isso?

Se você é apenas investidor e está em uma empresa seria, AGUARDE.

Se esta TRABALHANDO com cripto e depende delas para lucrar, é preciso entender a tecnologia, sempre que algo melhor surge, vem a tempestade “dos contra”, e com criptomoedas não foi diferente, mas elas foram criadas para NÃO depender de bancos, como o UBER não depende de TAXI ou grandes cooperativas de transportes.

Para o texto não ficar longo vou dizer claramente;

EU SEI O CAMINHO e estou seguindo por ele, mas é preciso calma e tempo, logo estaremos a frente novamente deste mercado.

Algumas pessoas vão reclamar, e argumentar dizendo que o problema delas é agora, e eu entendo, talvez por essa atitude que muitas empresas INVENTAM que foram invadidas, que perderam tudo e somem do mapa. Mas EU não vou fazer isso.

Mesmo sob pressão e acusações infundadas, eu criei um negócio honesto e sustentável. As máquinas e nossa estrutura são a garantia, e eu vou levar a WEHPM a ser uma das maiores empresas do ramo e a LQX SERÁ uma das moedas mais conhecidas e aceitas no mundo.

Pode escrever.

Antonio Silva

O maior especialista de criptomoedas do Brasil. Co-Fundador da Credminer e Diretor Comercial da MDX.

 

Deixe sua opinião