A Abranetwork irá lançar em seu portal, dia 01 de Outubro, uma seção chamada “TRANSPARÊNCIA”, contendo:

  • Balanço das empresas associadas
  • Avaliação técnica do Plano
  • Avaliação Técnica da Gestão
  • Avaliação do modelo de Investimento
  • Nome dos Traders responsáveis pelas operações em cada empresa
  • Avaliação geral, com gráficos e notas de Confiabilidade em função do “MOMENTO” da empresa

Essa iniciativa irá fortalecer as empresas que operam com Criptomoedas e acabar com especulações no mercado.

Publicidade

Infelizmente, a guerra entre as empresas que atuam no MMN de Criptomoedas é suja. Virou prática recorrente, empresas estimularem líderes a denunciar empresas junto a CVM para queimar a concorrente.

As empresas acabam não percebendo que ao fazerem isso, estão queimando o próprio mercado, porque a empresa atacada, acaba revidando e essa guerra míope, fragiliza o MMN deste segmento.

A Abranetwork, segue investigando empresas inidôneas e auditando as empresas que entregam todas as documentações, que abrem sistema e comprovam a legitimidade do negócio.

É incrível a “maldade” e o “amadorismo” de líderes que tentam difamar empresas e outros líderes. Há de chegar um momento onde o profissionalismo vai prevalecer. Afinal, é muito melhor vender os pontos fortes de seu negócio do que os fracos da concorrência.

Deixe sugestões aqui aqui em baixo, com opinião e dicas do que mais a Abranetwork pode fazer para legitimar empresas.

Indiscutivelmente, a proposta de “TRANSPARÊNCIA”  da Abranetwork irá ajudar muito o mercado a separar o joio do trigo.

A Abranetwork fechou uma nota ontem, comunicando que ainda esse ano, a farra das empresas picaretas de cripto irão acabar.

LEIA O COMUNICADO DIVULGADO PELA ABRANETWORK HÁ ALGUMAS SEMANAS ATRÁS:

Como esclarecimento público informamos abaixo quais são os documentos necessários para iniciar o procedimento de filiação e análise de chancela na ABRANETWORK:
– contrato/estatuto social devidamente registrado no órgão público competente (Junta Comercial ou Cartório);
– instrumento de posse da diretoria (ata ou contrato);
– cartão do CNPJ-MF;
– CI e CPF-MF dos sócios;
– comprovante de domicilio dos sócios;
– balanço de abertura devidamente registrado e/ou publicado;
– histórico de operações do último trimestre;
– três últimos balancetes;
– plano de negócios da empresa;
– demonstração de lucros/resultado e do patrimônio liquido;
– rol de patrimônio da empresa e bens garantidores;
– relação de saldos e passivo com terceiros/investidores;
– e registro em outros órgãos que a lei imponha como obrigatórios em razão dos produtos, bens ou serviços oferecidos pela empresa.
Caso a empresa esteja registrada no exterior é necessário apresentar os documentos equivalentes exigidos na legislação do País de sede, mas o CNPJ-MF com os documentos do responsável perante a RFB-MF são necessários.

Associação Brasileira de Network Marketing – ABRANETWORK

 

Deixe sua opinião