Empresas podem exigir exclusividade de empreendedores?

Muitas noticias de empreendedores que tiveram seus IDs cortados por suas empresas estão gerando muitos questionamentos.

Bortoletto, Herbalife, Polishop, Hinode, UP entre outras empresas já cortaram muitos Ids, por diferentes motivos.

Publicidade

PRINCIPAIS MOTIVOS IDENTIFICADOS:

– Empreendedor está trabalhando com outra empresa de MMN em paralelo;
– Empreendedor está desenvolvendo várias empresas paralelamente;
– Empreendedor está utilizando a rede social indevidamente;
– Empreendedor está agindo ou fazendo uso de práticas ilegais e contra o código de ética e normas da empresa;
– Empreendedor está falando mal e denegrindo a empresa, produtos ou pessoas da rede;
– Empreendedor está prospectando pessoas de forma irregular;
– Empreendedor está prospectando pessoas de outras redes da própria empresa.
– Entre tantos outros, os motivos acima são os principais e mais recorrentes.

O Diamante Duplo Elio Ribeiro, quando estava na Bortolleto teve seu ID cortado porque foi visto almoçando com um líder e executivo de outra empresa. na época Ricardo Bortolleto, quando questionado pela revista sobre essa decisão, voltou atras e concedeu o ID novamente.

A Herbalife por exemplo, exixe que todos os distribuidores qualificados ao nivel de GET, assinem contrato de exclusividade.

A Hinode frequentemente corta IDs de empreendedores que se cadastram em outra empresa. Para tal, basta denuncia da linha ascendente para que este procedimento seja efetivado.

A Polishop já cortou IDS de quem fere as normas da empresa divulgando em rede social os produtos da empresa junto com produtos de outras empresas ou em sites ou blogs que não na própria loja dos empreendedores.

Como se sabe, a Lei que regulamentará o MMN está tranmitando na Câmara dos Deputados e quando aprovado, ajudará empresas e empreendedores a lidarem com esta questão.

O fato, é que, ao escolher uma empresa de MMN, as pessoas se tornam distribuidores independentes. Ou seja, não existe vinculo de trabalho e não se pode exigir exclusividade, afinal, os empreendedores atuam como o nome bem diz, de forma independente.

Ocorre que trabalhar com duas empresas, implica numa confusão de referência e imagem do distribuidor junto a descendentes e crosslines.

Essa confusão de identidade, confunde a rede e coloca o distribuidor em estado de alerta, uma vez que, ele pode “pescar” pessoas na rede da empresa para o outro negócio.

Além disso, o marketing multinível prega a fidelidade junto a empresa e trabalhar com duas (mesmo que não sejam do mesmo segmento) gera insegurança na confiabilidade do empreendedor e demonstra falta de comprometimento como exemplo que todos necessitam dar.

A principio, atuar como consumidor profissional, ou empreendedor consciente, trabalhando com empresas diferentes, com redes diferentes (o que não é tarefa fácil de conciliação) exige necessariamente que o empreendedor não suba em dois palcos.

Resumindo, cortar IDS é devido, desde que o empreendedor seja notificado, suspenso e tenha direito de defesa plena.
mas cortar o ID porque ele está cadastrado ou trabalhando com duas ou mais empresas, sem subir em dois palcos, não é certo.

Mas a polêmica e os questionamentos continuarão.

A revista Sucesso fará um debate publico em breve com lideres e empresarios. Aguardem

Deixe sua opinião